jusbrasil.com.br
21 de Janeiro de 2021

O que se entende por defesa por negativa geral na contestação? Daniella Parra Pedroso Yoshikawa

Rede de Ensino Luiz Flávio Gomes
há 10 anos

De acordo com o artigo 302 do CPC, não se admite a contestação pela simples negativa geral. Entende-se que, uma contestação assim formulada equivaleria a uma não contestação, ensejando a revelia e seus efeitos. O ordenamento jurídico pátrio impõe ao réu o ônus de manifestar-se precisamente sobre cada um dos fatos alegados, pois aqueles não refutados serão considerados como verdadeiros, passando a ser fato incontroverso.

Contudo, nos termos do parágrafo único do art. 302 do CPC, excepcionalmente será possível proceder a defesa por negativa geral ao curador especial, ao advogado dativo e ao Ministério Público. Assim, a defesa por negativa geral é o antônimo da impugnação específica, que só poderá ser realizada por três pessoas: curador especial, advogado dativo e Ministério Público.

Art. 302. Cabe também ao réu manifestar-se precisamente sobre os fatos narrados na petição inicial. Presumem-se verdadeiros os fatos não impugnados, salvo:

I - se não for admissível, a seu respeito, a confissão; II - se a petição inicial não estiver acompanhada do instrumento público que a lei considerar da substância do ato;

III - se estiverem em contradição com a defesa, considerada em seu conjunto.

Parágrafo único. Esta regra, quanto ao ônus da impugnação especificada dos fatos, não se aplica ao advogado dativo, ao curador especial e ao órgão do Ministério Público. (Grifos nossos)

5 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Texto simples e objetivo. Pode-se dizer que a defesa por negativa geral serve apenas ao réu revel, ou ela pode ser usada também pelo curador especial que não tem contato com o réu, mesmo ele não sendo revel? continuar lendo

Promovida qualquer ação é obrigação de quem a promove, de fornecer todos aos elementos para que a ação tenha o seu trajeto dentro do normal e das formalidades legais. Imagina aquele que teve problema diretamente com o ofensor, devedor, em fim com o oponente dando vez aos litígios é quem devem apresentar no processo a qualificação e endereços completos de seus oponentes. No caso em questão vemos que se o próprio promovente da ação não tem conhecimento do requerido, quando da impetração da ação, imagina o curador especial, cuja manifestação não tem outra a não ser por negativa gera por mais que queira defender o requerido indicado. É meu ponto de vista. continuar lendo

Muito esclarecedor! continuar lendo

Não achei o artigo 302 com esses dizeres no Código continuar lendo

Está em plena conformidade com o CPC/ 2015 continuar lendo